quarta-feira, 30 de maio de 2018

GREVE DOS CAMINHONEIROS EM CAMPO GRANDE



As diversas manifestações e protestos feitos pelos caminhoneiros nesse período de greve foram atentamente acompanhados pela população em geral através das mídias sociais e da imprensa devido a importância do assunto para todos nós, brasileiros trabalhadores.
Em campo grande os caminhoneiros se concentraram em seis pontos principais que eram os postos de combustíveis Caravágio, América ll, América, Ideal, Arara Azul e Katia Locatelli.



Esses postos foram as bases de protestos, concentrando muitos caminhoneiros de diversos pontos do país. Com o decorrer da greve e a adesão da população, muitos cidadãos foram até esses locais oferecer seu apoio, seja pela simples presença entre os manifestantes, seja com água ou alimentos. Muitos doaram vários quilos de carne e refrigerantes para contribuir com os que ali reivindicavam causas comuns, como a baixa do preço do diesel nas bombas dos postos.

Essa luta teve seu encerramento hoje, dia 30 de maio de 2018, no acordo entre o governador e os representantes dos caminhoneiros, reduzindo o ICMS de 17% para 12%. Não foi com a vitória que todos esperavam mas deixou a classe satisfeita.

sexta-feira, 25 de maio de 2018

PROTESTOS DE CAMINHONEIROS CONTINUAM EM CAMPO GRANDE


Caminhoneiros permanecem realizando protestos em vários locais da cidade nessa sexta-feira (25). A principal exigência continua sendo a redução do preço do óleo diesel e, simultaneamente, existe outras reivindicações como redução de pedágios em caso de eixos dos veículos estarem suspensos, a criação de um marco regulatório para os caminhoneiros e a aprovação de um projeto de lei que estabelece preços mínimos para o frete.
Na cidade de Campo Grande já se observa alguns reflexos da paralisação dos caminhoneiros como a falta de combustível em grande parte dos postos de combustíveis, aumento no preço de alguns alimentos e redução do transporte publico da cidade.
Na BR-163 a manifestação ocorre próxima ao posto Caravagio. No local não há bloqueio na estrada por parte dos manifestantes que pregam o caráter pacífico do protesto.
Na manhã dessa sexta-feira  (25) foi anunciado pelo governo federal a utilização de tropas federais para conter a manifestação dos caminhoneiros. A greve dos caminhoneiros já dura quatro dias e não tem previsão para terminar.
Um dos representantes da manifestação, VALCIR FRANCISCO, reforçou que a manifestação é totalmente pacífica.

VALCIR FRANCISCO

quarta-feira, 23 de maio de 2018

PROTESTOS DE CAMINHONEIROS EM CAMPO GRANDE

     Caminhoneiros realizaram protestos em diversos pontos da capital nessa terça-feira (22). As principais reivindicações da categoria são a redução dos impostos sobre o óleo diesel e a consequente redução do preço e o reajuste nos preços do frete. 
     As manifestações estão ocorrendo desde segunda-feira (21) também em outros estados do país e segundo manifestantes não tem data para terminar. Em Campo Grande os caminhoneiros protestaram na Avenida Duque de Caxias, na BR 163 em frente ao posto Caravagio e na BR 262 saída para Três Lagoas.
      Nas BRs os bloqueios foram feitos de forma parcial, com barreiras de pneus nos dois sentidos das vias, todos os caminhões eram impedidos de transitar e os demais veículos tinham passagem liberada.



    

segunda-feira, 2 de abril de 2018

31 de março de 1964

            No último dia 31 de março de 2018 registrou-se o 54º aniversário que marca o início do Regime Militar no Brasil. Após anunciar as Reformas de base do Plano Trienal, o governo de João Goulart estava enfraquecido e com forte oposição de setores mais conservadores da sociedade. Embora o dia 31 de março tenha se consagrado como data histórica, foi na madrugada do dia 02 de abril que o Presidente do Congresso Nacional anunciara a vacância do cargo. Na outra semana, o Congresso indicou Humberto de Alencar Castelo Branco como Presidente da Republica.
             O Regime durou 21 anos e contou com cinco presidentes militares. Neste período, o mundo estava polarizado com a corrida armamentista da Guerra Fria, e havia setores ideológicos antagônicos no país. Embora marcada por uma guinada no campo econômico no início do Regime,  duras críticas são feitas ainda hoje ao período pelos excessos cometidos em relação aos direitos civis e políticos cassados na época.
            Em 1985 o poder foi devolvido aos civis com a eleição indireta do Presidente Tancredo Neves. O mesmo acabou não assumindo o cargo em função de problemas de saúde. Seu vice, José Sarney assumiu o poder e comandou o país por cinco anos, período da elaboração da Constituição atual do Brasil.

Índios protestam em Campo Grande, MS

   Indígenas protestaram em Campo Grande, MS nesta segunda-feira, dia 02 de abril de 2018, na sede da Fundação Nacional do Índio (FUNAI). Cerca de 40 indígenas que representam a comunidades da região de Sidrolândia e Dois Irmãos do Buriti ocuparam a sede reivindicando a troca do coordenador regional da FUNAI, Paulo Rios. Segundo uma das lideranças, indígena Otoniel, a manifestação deve durar até a resposta do Governo Federal na designação de um novo coordenador indicado pelos indígenas Sr Henrique Dias, atual diretor da Divisão Técnica na FUNAI 
Liderança indígena Otoniel

Outras lideranças indígenas em frente a FUNAI